em Empreendedorismo, Espaços de Coworking, Negócios e Gestão

O conceito de coworking chegou no Brasil há 20 anos, aproximadamente. Mas há apenas 5 anos se popularizou, com espaços compartilhados dos tradicionais escritórios.

Hoje, as possibilidades se ampliaram e já existem modelos para abrigar desde empreendedores e startups até profissionais de moda, educadores, médicos, costureiros e cozinheiros.

Para os coworkers, as vantagens vão desde a redução da manutenção da estrutura até a possibilidade de testar seu modelo de negócio antes de abrir uma grande empresa e, principalmente, de interagir com outros profissionais e formar um networking diversificado.

Esse sucesso tem chamado cada vez mais a atenção das grandes mídias.

Procura crescente acima da média

O Portal Globo Play mostrou a crescente procura por esses espaços. De acordo com o Censo Coworking Brasil, de 2016 para 2017, houve uma alta de 114%, abrigando 56 mil estações de trabalho e 3500 empregos diretos.

E as utilizações vão muito além do uso como escritório.

Já são muito comuns os modelo de coworking que compartilham consultórios médicos, por exemplo, onde profissionais de diversas especialidades têm um espaço equipado com os principais equipamentos, além do serviço de limpeza e secretária à sua disposição.

Segmentado para públicos específicos

Se por um lado o modelo de coworking reúne uma infinidade de segmentos no mesmo espaço, por outro, por que não segmentar o espaço para atender um público semelhante e, com isso, criar uma rede de negócios?

Esse foi o caso mostrado pela revista Pequenas Empresas Grandes Negócios, de um coworking em Nova Iorque feito apenas para mulheres, com o objetivo de tornar o ambiente mais leve e feminino e o trabalho, mais produtivo.

Viva a Diversidade

O Jornal Nacional mostrou que coworkings viabilizam não apenas a montagem do negócio em si, como facilitam também a realização de outros braços fundamentais.

Em um escritório com uma multiplicidade de expertises, é possível conseguir apoio, por exemplo, para estruturar sua papelaria, montar um site, ampliar sua atuação na internet, usar as mídias sociais da maneira correta para vender, entre outras possibilidades.

Seja qual for o modelo de coworking, uma coisa é certa: as vantagens são muitas e todos – locatários, empresários e o próprio mercado – sempre saem ganhando.


Gostou? Clique aqui e fale conosco

Comentários