em Franquia

Vez ou outra, com a ideia de abrir um escritório compartilhado vem a discussão sobre montar um negócio próprio ou se tornar uma franquia de Coworking. Ambos possuem seus prós e contras e a escolha do modelo correto para seu perfil pode determinar o sucesso do seu empreendimento.

Falo isso porque vemos diariamente brasileiros decidindo empreender, por necessidade ou oportunidade, mas sem as habilidades, conhecimentos, planejamento e/ou preparo que uma empresa precisa, tendo que fechar as portas precocemente.

Nesses casos, ouvir a “voz da experiência” é fundamental. Se você procurar bem e encontrar uma franquia de Coworking que comprovadamente já funciona, a franquia certamente pode ser uma opção mais viável.

Prós da franquia de Coworking

1. O nome do negócio já estará estabelecido:

Ao optar pela franquia de um escritório compartilhado, a marca, as técnicas e tudo que compõe o operacional do negócio já foi testado e implementado, o que significa um custo menor no esforço se desenvolver no mercado.

2. Suporte do franqueador:

O franqueador oferece todo o suporte que o franqueado precisa para iniciar e se manter no mercado. Os franqueadores oferecem planos de treinamento e suporte no gerenciamento de contas, vendas, publicidade e muito mais.

Geralmente esse suporte já vem incluso no preço da franquia e oferece segurança principalmente no processo inicial de abertura e implantação de mercado.

3. As negociações se tornam mais simples:

O franqueado também pode aproveitar as numerosas relações comerciais com os fornecedores já estabelecidas pelo franqueador, o que facilita muito a comunicação com anunciantes e equipes de marketing.

Além disso, nas franquias de Coworking, é comum que os fornecedores sejam os mesmos. Logo, as compras são feitas em conjunto, permitindo uma boa economia.

Contras da franquia de Coworking

1. É preciso seguir o contrato à risca:

Quem opta por uma franquia de Coworking precisa entender que não terá controle total sobre as decisões e transações do negócio. As regras do negócio já estão determinadas e fazem parte do contrato de franquia e é muito raro que um novo franqueado possa operar fora dessas fronteiras.

2. O negócio deve ser padrão:

Isso quer dizer que, ao abrir uma franquia do escritório compartilhado, a mesma deve manter o padrão das demais franquias. É preciso obedecer os padrões (tanto de serviços oferecidos e, em alguns casos, dos fornecedores), não podendo sair fora de escopo.

3. Parte do lucro vão para o franqueador:

Isso não deveria ser nenhuma novidade, mas é sempre bom lembrar que, no modelo de franquia, parte do seu lucro vai ser direcionado ao franqueador.

Até porque você utiliza o nome, estrutura e tudo mais que for necessário. Nada mais justo do que devolver algo ao dono da empresa, concorda?

Então, franquia de Coworking ou abrir um do zero?

 

Acabamos de abordar alguns fatores positivos e negativos da franquia de Coworking que você deve considerar antes de tomar a decisão. Claro que existem diversos outros fatores, por isso recomendamos que você entre em contato com o franqueador de seu interesse para entender melhor o negócio.

Lembrando que a principal vantagem da franquia é, claramente, a segurança e o suporte de iniciar um negócio novo com o respaldo de quem já conhece bem o mercado e suas melhores práticas. 

Se você ficou interessado ou tem dúvidas sobre ser um franqueado, fale com os especialistas da CKW Coworking.

Mostrando 2 comentários
  • Ivete cortez
    Responder

    Gostaria de obter mais informações

    • Equipe CWK
      Responder

      Olá Ivete! Peço que envie um e-mail para nós no falecom@brunalofego.com.br que te enviaremos mais informações sobre franquia. Abraço!

Deixe um Comentário