em Blog

Está interessado no mercado de coworking? Então entenda melhor sobre os custos de montar seu próprio escritório compartilhado!

Espaços de coworking, ou escritório compartilhado, estão em grande expansão no país. O último estudo feito pela Coworking Brasil apontou um crescimento de 25% em relação ao ano anterior, em mais de 195 municípios brasileiros. Escritórios compartilhados se tornaram uma importante estratégia para empresários reduzirem seus custos ou iniciarem suas atividades com um baixo investimento. Mas quanto custa montar um coworking?

Fizemos um levantamento para ajudá-lo a planejar esse empreendimento e entender melhor por que essa opção consegue baratear os custos daqueles que compartilham o espaço.

Por que montar um escritório compartilhado?

O coworking é utilizado por profissionais autônomos e empresas de todos os portes. A grande vantagem é que os custos da infraestrutura são diluídos por todos os participantes. Por isso, o espaço compartilhado é muito procurado por empreendedores individuais, freelancers e microempresas.

No entanto, a estrutura fornecida pela administradora atrai empresas de grande porte. Salas privativas, salas de reunião e auditórios são alguns dos espaços preferidos desse público, uma vez que é possível atender uma quantidade maior de clientes e manter a equipe unida e focada em um ambiente com maior privacidade.

Mas será que esse investimento é financeiramente rentável? Segundo o mesmo censo da Coworking Brasil, somente em 2018, a receita média anual foi de R$ 319 mil, sendo R$ 107 mil de lucro — representando uma margem de lucro em torno dos 33%. Muito bom, não é mesmo?

Quais os custos?

O investimento inicial consiste principalmente no imóvel onde você vai montar a estrutura. A partir daí, e preciso avaliar as condições do lugar para definir quais são as obras necessárias para abrir o espaço.

Os demais custos que impactam bastante o orçamento são o mobiliário, a climatização e o cabeamento estruturado. Embora o Wi-Fi possa ser um bom recurso no início, à medida que o número de coworkers aumenta, a rede sem fio fica sobrecarregada. Assim, um cabeamento estruturado de qualidade é essencial.

O Coworking Brasil chegou a um valor médio de R$ 277 mil como investimento inicial. O valor pode chegar a  R$ 1000 por m². No entanto, com uma boa negociação com fornecedores, é possível deixar esse valor ainda mais barato.

Como se planejar?

Para iniciar seu planejamento, é importante estar atento aos principais desafios que talvez você pode encontrar ao montar seu escritório compartilhado. O primeiro obstáculo, segundo a pesquisa, é promover a ideia de coworking na comunidade em que o espaço é instalado (41% dos respondentes levantaram essa questão). Outros 36% tiveram dificuldades para encontrar seus primeiros clientes.

Cada vez mais, os escritórios compartilhados estão se tornando populares. Muitos coworkers (73%, segundo o levantamento) já assumem contratos mensais, o que representa uma segurança financeira importante para o empreendimento.

Assim, para se preparar adequadamente:

  • entre em contato com outros espaços compartilhados para entender suas ideias e experiências;
  • busque um ponto comercial acessível, em centros urbanos e bairros comerciais;
  • coloque por escrito tudo o que será necessário para abrir e manter o negócio.

Espero que essas dicas para montar seu escritório compartilhado tenham sido úteis para você iniciar seu projeto agora mesmo, e que ele seja um sucesso!

Aqui no blog, eu sempre trago conteúdos para você ficar por dentro do mercado de coworking. Quer saber mais? Então acesse minhas redes sociais e me siga para mais conteúdos. Estou no Facebook, no Instagram e no YouTube!

Deixe um Comentário