em Blog

Você sabe como controlar o capital de giro do seu Coworking? Neste artigo, você vai entender o que é e como controlar esse indicador para aprimorar a sua gestão financeira!

A falta de uma boa gestão financeira ligada ao capital de giro é um dos principais problemas que levam à falência das empresas. Sem esse dinheiro, o negócio não tem condições de abrir as portas e muito menos consegue fazer investimentos.

Muitos empreendedores, porém, não entendem bem o que é capital de giro e como gerenciar esse ativo.

Por isso, neste artigo, vou esclarecer esses detalhes. Entenda o que é capital de giro e quais são as principais maneiras de gerenciar seus recursos!

O que é capital de giro?

Na prática, capital de giro é o dinheiro que você tem em caixa para cobrir os custos da empresa, ou seja, o total de valores financeiros disponíveis para manter o negócio funcionando nos próximos meses. Assim, ele é fundamental para dar continuidade ao negócio.

Para saber o capital de giro que você tem disponível, some todo o valor em caixa e subtraia todas as despesas e contas a pagar. Dessa forma, até que o valor das vendas e dos serviços prestados voltem ao caixa, o capital de giro dará a cobertura que você necessita para manter o negócio ativo.

Por isso, gerenciar de forma adequada o seu capital de giro é fundamental para manter a saúde financeira do seu negócio. Por meio dele, você conseguirá:

  • garantir o pagamento de fornecedores de matéria-prima e serviços essenciais;
  • ter condições de fornecer pagamentos a prazo a seus clientes;

Mas como controlá-lo corretamente? Confira algumas dicas a seguir!

Como controlar o capital de giro na sua gestão financeira?

Para manter uma boa gestão financeira, e controlar o capital de giro do seu Coworking, é muito importante que você siga as seguintes recomendações:

Calcule o capital de giro necessário

Um capital de giro ideal é aquele que cobre as despesas do seu negócio ao longo de um tempo planejado. Para descobri-lo, faça o seguinte cálculo:

  • AC (ativo circulante) – PC (passivo circulante).

O ativo circulante se refere a todos os recursos financeiros que estão à pronta disposição para o negócio e inclui o caixa, conta-corrente, estoque, contas a receber dentro do período vigente, investimentos de alta liquidez etc. Já o passivo se refere às suas despesas, como água, aluguel, empréstimos, internet, folha de pagamentos, fornecedores etc.

O valor restante dessa subtração será seu capital de giro. Ter um capital de giro negativo aponta para alguma deficiência nessa gestão financeira. Como muitos dos itens dessa fórmula variam, é importante rever esse cálculo e seguir as demais dicas.

Registre detalhadamente seu fluxo de caixa

Fluxo de caixa e capital de giro são conceitos que caminham juntos. Se você não tiver uma gestão financeira organizada, o cálculo do capital de giro ficará longe da realidade do negócio, já que a fórmula se baseia nas despesas e receitas.

Assim, registre o que sai e o que entra no negócio assim que as operações ocorrerem. Isso vai evitar que haja esquecimento e faz com que você acompanhe despesas e receitas com regularidade.

Reduza custos

Quanto maiores os custos operacionais do seu negócio, maior será a sua necessidade de ter um capital de giro. Por isso, busque estratégias para eliminar ou substituir despesas por opções mais competitivas.

Uma delas é avaliar o quanto se paga de aluguel. Segundo especialistas, o ideal é que essa despesa fique entre 8% e 11% do faturamento. Mas, dependendo do seu espaço, essa fatia pode ser bem maior, sem contar outras despesas operacionais para manter o local funcionando.

Uma boa gestão financeira envolve controlar de perto o capital de giro e adotar estratégias inteligentes para garantir que as contas fiquem nos trilhos. Então, mantenha o registro em dia e siga as melhores recomendações.

Quer ver mais conteúdos como este? Me siga nas redes sociais! Estou no Instagram e no Facebook.

Deixe um Comentário